terça-feira, 23 de julho de 2013

PONTO DE PARTIR

Você não acredita na realidade que vê. Não pode ser verdade!
"O que está por trás dessas cortinas tão vibrantes?"
Chega a sentir-se apavorad@, impotente....pequen@.
Então vê que não pegou o caminho mais fácil, mais curto, mais vendido.
Neste outro vai deixar sua trilha de sangue, suor e lágrimas. Vai perder muita coisa. Pessoas. Mas vai seguir. Vai perder-se também.

Histórias da infância trazem a esperança de que depois da fase ruim logo logo tudo se resolve. Mas não se resolve. Não logo. Começa a pensar se não está ficando louc@, ouvindo vozes. Muitas vozes: pedidos de mães desesperadas, gemidos de jovens assassinad@s e o silêncio de um povo calado (a força, a força). Ouve o choro, a raiva e a revolta contida de séculos. (Explosão) 

Dos cacos vai surgindo outro ser. Não é mais a pessoa ingênua do começo da caminhada. Sentiu na boca o gosto da injustiça que não escreveram nas livros da escola, nem no jornal, nem na novela. 

Volta os olhos pra trás e vê que só havia um caminho, de fato. Que o resto era uma peça numa caixa de areia onde ninguém se move. Lamenta-se pelas almas que escolheram ficar e segue. Agora tem companheir@s que precisam de você. E você - descobriu - precisa del@s, louc@s como são.

Agora a sombra do monstro já não é tão grande, nem as noites tão frias. Sente que caminha com passos firmes o caminho que escolheu. O sol vem raiando, triunfante como a verdade, anunciando o fim da madrugada. Faremos, junt@s, um enorme e barulhento DESPERTAR.

Nenhum comentário:

Postar um comentário