sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Há qualquer coisa no ar...

No ventre de uma mulher grávida, dois gêmeos dialogam:

– Você acredita em vida após o parto?

– Claro! Deve haver algo após o nascimento. Talvez estejamos aqui principalmente porque precisamos nos preparar para o que seremos mais tarde.
...
– Bobagem, não há vida após o nascimento! Afinal, como seria essa vida?

– Não sei exatamente, mas certamente haverá mais luz do que há aqui. Talvez caminhemos com nossos próprios pés e comamos com a nossa boca.

– Isso é um absurdo! Caminhar é impossível. E comer com a boca? É totalmente ridículo! O cordão umbilical nos alimenta. Além disso, andar não faz sentido, pois o cordão umbilical é muito curto.

– Sinto que há algo mais. Talvez seja apenas um pouco diferente do que estamos habituados a ter aqui.

– Mas ninguém nunca voltou de lá. O parto apenas encerra a vida. E, afinal de contas, a vida é nada mais do que a angústia prolongada na escuridão.

– Bem, não sei exatamente como será depois do nascimento, mas, com certeza, veremos a mamãe e ela cuidará de nós.

– Mamãe? Você acredita em mamãe? Se ela existe, onde está?

– Onde? Em tudo à nossa volta! Nela e através dela nós vivemos. Sem ela não existiríamos.

– Eu não acredito! Nunca vi nenhuma mamãe, por isso é claro que ela não existe.

– Bem, mas, às vezes, quando estamos em silêncio, posso ouvi-la cantando, ou senti-la afagando nosso mundo. Penso que após o parto a vida real nos espera; e, no momento, estamos nos preparando para ela.

(Autor desconhecido)

sábado, 8 de dezembro de 2012

Nosso lixo de cada dia...

Outro dia tava pensando numa conta... uma conta enorme:

Há cerca de 97 milhões de mulheres no Brasil, menstruando todo mês, durante o ano todo. Supondo que cada mulher use cerca de 4 absorventes por mês dá mais ou menos 4.656.000.000 de absorventes. Sim, mais de 4,5 bilhões de absorventes cheios de plástico, algodão e uma série de substâncias que levarão séculos pra serem decompostas, sendo jogados na natureza por ano. Só no Brasil.

"Mas o que posso fazer?" você diz.
Eu digo: vamos procurar alternativas, pô!
Numa busca rápida achei um coletor menstrual. É reutilizável, de silicone e funciona.

E os homens onde ficam? Somos cerca de 93 milhões, camarada. Pensa n'outra conta, agora com prestobarbas, frascos de desodorante spray, frascos de pós barba, frascos e mais frascos; e as sacolinhas que você trouxe do mercado e as embalagens mistas, com alumínio, papelão e plástico, etc...

Não, não estou falando pra voltarmos pras cavernas (ouvi a voz da minha mãe dizendo). Estou falando pra pensarmos, pra levarmos a sério a questão do lixo. E pra fazer USO de alternativas que já temos e buscar novas, menos impactantes e mais eficientes (tem algum universitário aí?).

Na boa, cada um fazendo seu xixi no banho não basta.

fontes:
http://www.ipece.ce.gov.br/noticias/populacao-brasileira-supera-os-190-milhoes-diz
http://meninamalouca.blogspot.com.br/2009/01/coletor-mentrual.html