quarta-feira, 26 de janeiro de 2011

A Carne

A carne é o que liga os ossos e faz mover o corpo.
A carne fede depois de morta e vira comida de verme.
O filho da carne é o que me faz imortal, que leva minha poesia através dos anos...
É esse filho que me causa tanta insônia com suas inúmeras perguntas e críticas.
Um dia é a febre e o termômetro, no outro é o coração arfando e
lágrimas estreptocóccicas rolando pelo rosto virgem.
Todos aqueles óvulos e gemadas que o fizeram o máximo da minha carne
e me levaram à loucura tantas e tantas tardes.
A primeira paixão foi vivida e sofrida por todos à mesa.
Bárbara era seu nome e também a dor que vimos em seus olhinhos pequenos.
- André


Escrito dia 24/05/10 para um exercício durante uma aula de literatura [brainstorm]

Nenhum comentário:

Postar um comentário