sexta-feira, 10 de julho de 2009

Durante meus minutos na esteira...

Frequentemente me distraio.
Olho para alguém com uma blusa vermelha,
Ou alguém que derrubou um halter no chão.
E para combater os devaneios tento me concentrar:
Penso num cavalo árabe correndo fugaz...
Posso ouvir sua respiração e o barulho dos cascos dentro da minha cabeça
Posso ver seus olhos vivos focados no caminho a seguir
Até que um descuidado derrube outro halter.
Inesperado alguém pergunta:
-André, porque corres tanto?
A pergunta se repete num eco
E numa explosão milhares de motivos aparecem
Eu corro para um lugar seguro, oras!
Corro das ilusões e desilusões,
Corro de mim mesmo e dos meus pecados,
Corro pra socorrer alguém...
Posso até vê-lo imóvel, esperando pelo socorro que chega a galope
É um amigo, talvez. Nunca saberei.
Outra blusa vermelha e me perco novamente,
A panturrilha diz que está sofrendo e sinto o gosto do suor que escorre.
O corpo diz que quer parar, pois aquilo não tem sentido.
-Uma ova!! - grita a mente severa e após um estalo do chicote :
-Corre! Corre! Corre, caramba, corre!!
E reprime o corcel mandrião.

2 comentários:

  1. Uhuul cavalo árabe rsrs Cada dia correndo mais... xD

    ResponderExcluir
  2. eu não gosto de correr, mas na esteira gosto de andar muito rápido, então sei o que vc sente!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir