sábado, 27 de junho de 2009

A primeira vez...

Você, meu jovem, doido de vontade de afogar o ganso com a menina que conheceu no churrasco de domingo. Ela é meio tímida, mais nova que você e o principal: inexperiente, ou seja, não importa sua performance, ela não vai te criticar.
Está feita a merda.
Eu resolvi agrupar comportamentos semelhantes que observei nas garotas com quem me relacionei: taradas, tapadas e normais.
A primeira vez de uma garota é algo muito importante pois isso vai influenciar e totalmente o modo como ela encara o sexo e sexualidade.
Conheci garotas que tiveram experiências terríveis, não só na primeira vez, e são geralmente essas que viram travadas ou tapadas.

A travada é mais comum. Minto. Hoje em dia a proporção já deve ser praticamente a mesma.
A travada é aquela que tem um medo do sexo, medinho ou medão. Ela tem medo de sentir dor, de ser humilhada, tem medo por que aquilo é "errado", tem medo que ele vá só "usar e chutar" ela. Por isso as tapadas costumam não ser participativas, ficam na delas e se você não instigar é capaz dela nem aproveitar a situação e talvez nunca descubra o que é que esse povo vê de mais em sexo.

A tarada é justamente o oposto, tem aficção por sexo. Você pode começar a conversar com ela sobre cural de milho-verde que logo logo estão falando de outro cural. Parece super legal à primeira vista, mas se você observar com atenção verá que ela é triste, que está fazendo aquilo por que quer atenção e carinho, talvez o carinho de um pai alcóolatra ou de um irmão sem caráter. As travadas correm maior risco, pois muitas vezes se sujeitam a condições perigosas, tais como sexo sem proteção, num lugar escuro e ermo, altas doses de álcool e só Deus sabe o que mais.

Não há muito o que falar das normais. As normais são as que habitam um terreno entre as outras duas. Pode gostar de sexo e entender aquilo como uma coisa tão natural quanto respirar e beber água, pode gostar muito, querer inventar moda na cama e tudo mais, mas dá pra ver que não tem aquela tristeza da tarada. Por outro lado pode se aproximar mais da tapada e ficar mais na dela, esperando que você, garanhão experiente, guie ela por estes caminhos desconhecidos, ou simplesmente pode aproveitar o que você oferece a ela sem se queixar e ainda ser felizes sexualmente.

O mesmo se aplica aos rapazes, tapados, tarados ou normais.

E é por isso que escrevi essa teoria, pra qualquer um que venha ler esse texto entenda a importância de conversar com seu companheiro. Diga a ela que não se sente à vontade por isso ou por aquilo. Diga a ele que sua primeira vez foi assim ou assado. E se você assumiu a responsabilidade de ser o primeiro de uma garota, encare com seriedade, pois é justamente a maneira que se deve tratar o sexo! Pessoas matam e morrem por causa de traições, de paixões não corresponditas e está tudo interligado. Trate ela com o respeito que você gostaria que tratassem sua mãe, ou irmã, ou alguém com quem se importe.
Também não vá confundir respeito com falta de criatividade. Aprenda a sentir o que o outro sente: viu que ela tá afim, joga um verde, com calma, com jeito... pergunte a ela. A garota também tem o direito de aproveitar a relação e são sempre bem vindas sugestões e descobertas.

PS: Claro que quaquer tapada ou tarada pode voltar a ser "normal" com mto empenho e ajuda de alguém que as queira muito bem.

PS2: O texto ficou grande mesmo eu tendo me esforçado pra não ficar... ainda pego as manhas.

3 comentários:

  1. Muito bom... tá escrevendo mto bem... porém vc esqueceu de falar que as pessoas podem mudar de comportamento nesse sentido durante a vida... enfim, só uma dica, por experiencia propria ;]

    ResponderExcluir
  2. Eu já fui reprimida, mas há alguns anos sou normal!! Mas eu sou uma azarada, só pego tarados ou tapados!! hehehehe!!
    Beijos!!

    ResponderExcluir
  3. iHUAsiuhSIAU Todos somos, já fomos ou seremos de alguma forma tapados ou tarados xD

    ResponderExcluir